Os homens só querem sexo! (???)

Os homens só querem sexo! (???)

Já ouviu alguma mulher fazendo essa reclamação? Você mesma já pensou ou falou isso? Já se sentiu usada ou desrespeitada por um homem com quem saiu e demonstrou querer demais levar você para a cama?

Bem, verdade seja dita! Tendo ou não passado por isso, existe uma crença generalizada de que homem só pensa em sexo e que muitos só se interessam por isso e não por um relacionamento sério.

Penso que dá para entender! Imagine duas crianças que acabaram de nascer: um menino e uma menina. Apesar de todas as mudanças ocorridas nas últimas décadas e de todas as conquistas femininas, os dois são criados da mesma forma quando o assunto é sexo?

Pelo que tenho visto, não mesmo! Pelo menos não na maioria dos casos. Enquanto as meninas são vigiadas e altamente censuradas diante de qualquer manifestação sobre gostar de sexo, de “pipi” ou de meninos, os meninos são altamente incentivados a se manifestar sexualmente, declarando seu desejo sexual pelas meninas e seu interesse por “pepecas”, “peitos” e afins.

Como crescem? Elas sendo julgadas por seu comportamento sexual e eles também. Mas elas são rotuladas negativamente caso queiram sempre e facilmente. E eles são também são, caso não queiram. Cadê o direito de escolha? Cadê a igualdade entre as pessoas? Cadê a expressão sexual saudável, consciente e madura?

Sendo assim, o que termina acontecendo é que eles se obrigam a querer sempre ou se sentirem envergonhados e pressionados caso não queiram. E elas se obrigam a se fazer de difícil sempre ou se sentirem inseguras e culpadas caso queiram. Uma baita confusão. Um desequilíbrio que só gera mais e mais insatisfações, disfunções e desencontros.

Mulheres frígidas ou excessivamente sexualizadas e aparentemente vulgares. Homens com ejaculação precoce ou usando estimulantes cada vez mais cedo. Felizmente, nem todos e nem todas. Mas ainda bem mais do que deveria. E resultando em sofrimentos completamente desnecessários.

Resumindo: não todos, mas muitos homens realmente focam tempo e energia demais na tentativa de levar um número cada vez maior de mulheres para suas camas. Aprenderam assim. Carregam crenças limitantes e equivocadas sobre o que é ser homem. Sobre como um homem deve se comportar.

Mas, no final das contas, sendo você uma mulher, existe uma grande lição nisso tudo. É aprender a, acima de tudo, saber de si. Fazer suas próprias escolhas a partir de suas verdades, de seus sentimentos e de seus valores. E bancar a si mesma.

Então: e você, quer sexo? Com quem? Em que momento? Você sabe? Você se questiona? Ou deixa o outro decidir por você sempre? Ou se sente vítima do desejo dos homens? Porque, independentemente do que eles querem, você pode dizer “sim” ou “não”. Você diz? Fala o que você quer ou o que eles querem ouvir?

Tenta corresponder aos desejos do outro ou se sente realmente segura e confiante para corresponder aos seus próprios desejos? Consegue dizer “não” quando não quer ou fica achando que ele não vai mais ligar ou vai te achar fria e vai sumir?

Consegue dizer “sim” quando quer ou fica achando que ele vai te achar fácil demais e vai desaparecer ou não vai mais te respeitar? Você realmente sabe o que quer ou se sente o tempo todo inadequada e ansiosa, acreditando que vai ser traída ou abandonada a qualquer momento?

Talvez, antes de classificar homens como sendo “isso” e mulheres como sendo “aquilo”, esteja na hora de assumir quem é você e se você quer (e quando e com quem quer) sexo. Assim, a vida fica muito mais leve e você se torna muito mais dona da sua própria história.

E, mais do que isso, você termina atraindo encontros e amores que têm muito mais a ver com sua verdadeira essência. E finalmente entra em sintonia com o amor que merece, em vez de passar a vida se lamentando pelos repetidos desencontros e desamores vividos.

16 Comments
  • Telma Sabrina Socrate

    13 de novembro de 2016 at 21:59 Responder

    Muito bom!
    Realmente ainda vivemos numa sociedade machista e cheias de tabus, precisamos nos conhecer e nos respeitar cada dia mais para que o outro também nos respeite e nos olhem como um ser humano que merece respeito, e bons tratos.
    Esse tratamento bom deve ser uma via de mão dupla que vai respeito e vem respeito e que seja assim constantemente…

    • Sergio

      14 de novembro de 2016 at 19:02 Responder

      Prezadas mulheres o reflexo da falta de orientação sexual para as mulheres quando ainda eram meninas e virgens estão causando um verdadeiro Caos social na humanidade O tempo passou e 90% das mulheres do Univer passaram maus momentos por não saberem escolher seus parceiros. É hora de virar este jogo para que as futuras geração não trilhem vossos caminhos.

  • Suely Coelho

    13 de novembro de 2016 at 22:20 Responder

    Boa noite Rosana Braga

    Preciso de uma orientação…e normal sentir tesão aos 72 anos ?

    Suely

    • Amire Mubarack

      29 de novembro de 2016 at 22:15 Responder

      Boa noite, querida Suely.A pergunta foi para Rosana, mas peço licença para dizer que tenho duas amigas viúvas, com 76 e 79 anos. Sim! É normal sentir tesão, por que não? Você é saudável. Um abraço.

  • Beni oliveira

    13 de novembro de 2016 at 23:00 Responder

    Acho que os homens estao assustados com atitudes e comportamento de algumas mulheres.Hoje e enorme a quantidade de homens inseguros e com baixa estims.l

  • Lindauramardasilva

    13 de novembro de 2016 at 23:09 Responder

    Me entreguei a amor por medo de que ele me deixasse por medo dele me achar fria .Ele me fiava com outras mulheres e mesmo sabendo que eu era única e exclusivamente dele ele me deixou na rua da amargura sem dó nem piedade .Eu amo ele porém ele queria só sexo.

  • Cibelle

    14 de novembro de 2016 at 00:21 Responder

    Rosana, tenho acompanhado vários textos seus e quero te parabenizar por sua simplicidade, proximidade com temas tão importantes para todos (gênero humano).
    Com suas palavras que materializam tantos sentimentos, momentos vividos, pude me sentir mais próxima e compreendida por alguém que nunca conheci.
    Minha gratidão a você, querida, que pode com o seu trabalho iluminar a vida de muitas pessoas, inclusive a minha. Cibelle!

  • luzia Souza

    14 de novembro de 2016 at 00:40 Responder

    O mais interessante é que quando sabemos decidir com quem ficar e dizemos não, despertamos raiva ou afetamos a estima do homem, que até se torna agressivo ou encara como desafio, ou seja tem que ficar com a mulher custe o que custar.Quem disse que mulher boa de cama tem que ir pra cama com todos sem critério ou seleção? o mais triste , essa cultura não vai acabar tão cedo, pois ainda hoje , os meninos estão sendo criados para serem assim…lamentável.

  • Carlos Ossola

    14 de novembro de 2016 at 03:47 Responder

    O homem sente mais tesão do que amor. A mulher sente mais amor do que tesão. O segredo da união duradoura é o homem ensinar a mulher a sentir mais e mais tesão e a mulher ensinar ao homem a amar mais e mais. Quando isso acontece, a união é compensadora para ambos e tem muitas probabilidades do casal terminar velhinho, com pau na mão. Literalmente.

  • Elisabete

    14 de novembro de 2016 at 10:17 Responder

    Essa é a pura vdd, enquanto estava de mimimi deixando me rotular nos modelos sociais n encontrava ninguém a minha altura. Qdo resolvi me assumir como mulher madura se quero faço é se não quero não faço, se gosto falo, se não gosto eu falo…tem sido tudo diferente! Sou bem mais feliz!

  • Celma

    16 de novembro de 2016 at 21:23 Responder

    Muito interessante o assunto e bem explicado pela autora, concordo com tudo que foi colocado e infelizmente acredito que essa cultura não irá mudar tão cedo , e a partir momento que decidimos viver a vida sem pensar no que o homem vai pensar se você ceder ou se não ceder ao sexo rápido, seremos mais felizes, realizadas e sem culpas, a vida é muito curta para sofrermos por causa de Tabus ou culturas ultrapassadas.

  • Patricia

    17 de novembro de 2016 at 17:49 Responder

    òtimo explicação direta,gosto de entender eles pq muitas vezes eles não são o que pintamos, e sim o que vivemos no passado,e os estereotipamos não dando espaço p/ eles se mostrarem naturalmente.

  • Jane Reis

    10 de janeiro de 2017 at 15:07 Responder

    Muito bom o seu artigo.

  • Ronald

    16 de fevereiro de 2017 at 13:54 Responder

    Show.

  • Raquel

    22 de fevereiro de 2017 at 00:49 Responder

    Legal.

  • João

    4 de abril de 2017 at 22:40 Responder

    Interessante.

Post a Comment