3 hábitos que você precisa eliminar agora se deseja ser feliz no amor!

3 hábitos que você precisa eliminar agora se deseja ser feliz no amor!

Já teve a sensação de que alguns enredos desastrosos se repetem na sua vida amorosa? Quer alguns exemplos do que pode ser isso?

Você se torna diferente, insegura e controladora, assim que se interessa pela pessoa… e isso faz com que estrague tudo? É traída quando menos espera? Não consegue engatar um relacionamento sério? Vive entrando em relações onde se sente desrespeitada, não reconhecida e desvalorizada?

Qual é a história que se repete em sua vida e que você não aguenta mais? 

A boa notícia é que essa repetição é uma oportunidade maravilhosa e imperdível de identificar o que é que você está precisando aprender sobre si mesma e mudar. Sim, porque primeiro você precisa identificar qual é sua parte nesta dinâmica que não está funcionando. E então procurar aprender como fazer diferente para poder agir diferente, mudar efetivamente!

Ou seja, se você insistir em acreditar que sua vida amorosa não acontece do jeito que você gostaria por causa do outro, do mundo ou das pessoas, vai ficar bem complicado mudar alguma coisa e fazer acontecer do jeito que você quer. Afinal, você não controla o outro, o mundo ou as pessoas, mas pode mudar a si mesma, pode se trabalhar para fazer diferente. Pode assumir a direção do seu filme, da sua história.

Mas quais são os hábitos perigosos para a felicidade no amor? O que mais complica e estraga os relacionamentos? Existem alguns tão desastrosos que merecem ser conhecidos o bastante para que você não caia mais nessa repetição, nessa armadilha que na qual você vem caindo muito mais vezes do que gostaria.

Conheça agora os 3 hábitos que você precisa eliminar se deseja ser feliz no amor!

1- Pressa para ter um relacionamento!

Você quer viver um amor bacana? Muito bom! Não há nada de errado nisso. Pelo contrário! Tem muita mulher que vive repetindo para as amigas que não precisa de homem para nada, que é feliz sozinha, que está cansada de se decepcionar e blá, blá, blá. Ok também estar solteira. Aliás, de vez em quando, não tem nada melhor. Mas assumir o seu desejo de ser feliz na área afetiva é sinal de maturidade e autoconhecimento. O problema é quando esse desejo se torna praticamente uma obsessão. Você quer tanto que perde a referência do que realmente quer. Quer tanto que entra numas de “qualquer coisa serve, desde que eu tenha alguém”. Sei que falando assim, parece exagero, mas repare. Preste bem atenção em si mesma e nos últimos relacionamentos que tem vivido (ou tentado viver). Tem a impressão de que, após algum tempo, fica muito claro que escolheu errado, se enganou na percepção que teve do outro? Vive se dando mal, sendo mal tratada, traída, abandonada ou feita de boba? Então, certamente você está com pressa demais para encontrar a tal “pessoa certa”. Querida, relaxa! Segue o fluxo. Deixa as coisas acontecerem. Não é porque conheceu alguém hoje que essa pessoa tem de se encaixar de qualquer jeito. O mundo não vai acabar amanhã e mesmo que você já se considere “velha demais” para estar solteira, não ser mãe ou continuar sozinha, não é a sua pressa que vai resolver essas crenças limitantes ou essa sua ansiedade de ter alguém para “chamar de seu”. Quanto mais pressa você tiver, mais errado vai escolher. Menos coerentes serão seus comportamentos. E mais e mais ansiosa você vai se sentir.

2- Ansiedade para saber o que existe entre vocês!

Você finalmente conheceu alguém interessante. Vocês começam a se conhecer, se encontram algumas vezes, rola aquela química e tudo parece perfeito. Os dias vão passando e você começa a se perguntar como vai apresentá-lo às suas amigas, como vai se referir a ele. Vocês são amigos, ficantes ou namorados? O que ele pretende? Será que quer compromisso ou só quer mesmo se divertir enquanto você der espaço? E se ele não te assumir? Pronto! Você se sente consumida pelos pensamentos, pelas perguntas, pela insegurança, pela danada da pressa para definir as coisas. Não estou dizendo que você precisa viver um affair por 6 meses e não perguntar do que se trata. Mas você sabe que nem só de palavras é feita a comunicação. Você sente, percebe o que ele quer com o comportamento, a constância e a consistência da presença. Muitas vezes, não precisa necessariamente fazer perguntas para entender o que está acontecendo, com que ritmo e com que intenção. Então, de novo: querida, relaxa! Segue o fluxo, Deixa as coisas acontecerem. E somente quando realmente estiver segura de que quer tentar fazer essa história valer a pena é hora de se posicionar. De dizer o que você quer. E daí você precisa estar preparada para a segunda possibilidade: a de ele não querer nada sério, não estar pronto para um compromisso ou até mesmo assumir que gosta de você, mas não o bastante para namorar. Neste caso, será hora de romper. De se dar valor, ser coerente com o que você deseja e admitir que ele não é o cara. Hora de seguir em frente sem medo de sofrer de novo, que é o terceiro hábito desastroso.

3- Medo de sofrer de novo.

Tem muita gente que sofre por medo de sofrer. Que estraga boas chances de se dar bem no amor por medo de se dar mal de novo. Carrega uma mala cheia de lembranças ruins de relacionamentos anteriores. Vive na defensiva. Se sente vítima dos homens e do amor. Acredita, bem lá no fundo, que dificilmente vai dar certo. E, obviamente, sofre de novo. Desconfiança, acusações, cobranças, insegurança, ciúme e de novo aquela sensação de que vai desandar… e desanda mesmo! Claro! Se você vive com medo de sofrer de novo, é porque não se desapegou do passado. Porque ainda está lá, sofrendo pelo que aconteceu, pelo que não aconteceu e, sobretudo, presa a algo que simplesmente não existe mais. Aliás, existe sim, mas só na sua cabeça, contaminando sua relação de agora ou até a mera possibilidade de um novo amor! Sofrer faz parte. Não existe vida sem dor. Está no pacote. Se você vive evitando a dor, vive evitando a vida. Para com isso! Em vez de evitar a dor, foque em se fortalecer, em se tornar uma mulher poderosa e que sabe lidar com as próprias emoções. Assim, todo sofrimento pode ser ressignificado e transformado em aprendizado, história, experiência. Tudo o que é vivido faz com que você seja você. E isso pode ser lindo ou desastroso. Você quem decide.

Tem tudo a ver com a sua noção de merecimento! Você precisa se sentir merecedora de viver um amor de gente grande. Clique aqui para saber mais! >> http://vivaoamorquevocemerece.com.br/viver-pleno/

No Comments

Post a Comment